Proteja suas peças de madeira contra cupins

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

De moldura de quadros até piso, tudo pode ser infestado

Todos os tipos de madeira e peças feitas deste material, mesmo que tratadas pela fábrica, podem ser infestadas por colônias de cupins. Dentre todos os tipos deste inseto, quase três mil, 300 são encontrados em território brasileiro e 10% destes são espécies pragas, segundo a professora de zoologia da Unifesp e especialista no assunto, Fabiana Casarin. No Brasil, dois tipos são os responsáveis pela maior parte dos estragos: cupins de madeira seca e cupins subterrâneos.

Prevenir a instalação dos cupins em casa não é uma tarefa fácil. Em sua forma adulta eles ganham asas e entram nos ambientes pelas janelas, portas e frestas no telhado, por exemplo. Eles são conhecidos como siriris e aleluias, aqueles bichinhos que ficam voando em torno das luzes. "Os cupins, na época de revoada, entre julho e dezembro, formam casais na luz e vão buscar pela casa buracos para formar seu ninho", explica a especialista Fabiana Casarin. Para evitar que eles entrem na residência, a única medida seria manter a casa fechada durante o período de revoada. Instalar telas nas janelas e portas também pode ajudar.

No caso dos cupins de madeira seca, o casal se reproduz lentamente e somente quatro ou cinco anos depois que eles se instalaram na madeira é possível perceber a infestação. Fabiana Sacarin comenta que as colônias desta espécie costumam ter cerca de 300 indivíduos e o ambiente ideal para seu desenvolvimento são aqueles com oferta de celulose, substância da qual se alimentam.

Os cupins subterrâneos são os mais devastadores. Eles formam suas colônias, que podem chegar a ter 1200 indivíduos, em lugares úmidos, escuros e com celulose. Por isso, subsolos de prédios se tornam ambientes ideias para sua reprodução. Outra característica desta espécie, também conhecida como cupim de solo, cupim de cimento ou cupim de parede, é que, ao contrário dos cupins de madeira seca, os ninhos não são feitos na madeira.

"Muitas vezes o ninho principal está no subsolo do prédio e outro, secundário, andares acima. Este cupim pode andar até 100 metros por galerias que constrói no concreto dando acesso à madeira. Ele se alimenta, depois volta para o ninho e alimenta o restante da colônia", afirma a professora da Unifesp. Por isso, quando alguma peça está infestada por este tipo de cupim, não adianta afastá-la das outras ou jogá-la fora, pois o ninho não está nela.

Na próxima página, saiba como perceber se estes insetos já estão em sua residência.

Identificando os vestígios

Carlos Watanabe, engenheiro agrônomo e proprietário da empresa de controle de pragas Termitek, orienta as pessoas a verificar periodicamente se não há umidade nos armários e caminhos de terra nas paredes. Procurar pelos túneis de terra deixados pelos cupins subterrâneos é a melhor forma de identificar uma infestação. Estes insetos também costumam deixar asas nos locais por onde passam. Qualquer material que tenha alguma porção de celulose em sua constituição serve de alimentos para eles, como roupas, papel, papelão e gesso, por exemplo. Portanto, todos os locais com estes itens merecem atenção especial.

Os cupins de madeira seca eliminam resíduos parecidos com grãos de areia. Sempre que você encontrar uma peça de madeira com este tipo de pó ou perceber que ao ser movimentado o móvel solta este resíduo, é sinal de infestação. Cuidado para não confundir uma colônia de brocas com uma de cupins. Quando a peça de madeira soltar um pó parecido com talco fino significa que ela está sendo habitada por brocas, espécie que quando adulta se torna besouro e voa para fora do ninho, desabitando o móvel.

Quando o problema for cupim de madeira seca, existem algumas medidas que os moradores podem tentar antes de recorrer à ajuda profissional. A especialista Fabiana Sacarin recomenda usar produtos específicos para o extermínio de cupins nos móveis infestados. Eles podem ser encontrados no mercado e devem ser aplicados com uma seringa. Você deve procurar orifícios na peça infestada com o auxílio de uma lanterna e utilizar objetos pontudos, como chave de fenda e canetas, para cutucar os buracos. Os cupins abrem os orifícios para eliminar os resíduos da colônia e depois fecham com uma casquinha para evitar a entrada de predadores. Fabiana explica que é preciso romper a casca para introduzir o veneno.

Quando a infestação ocorrer em portas, por exemplo, uma saída é abrir buracos na parte de cima e usá-los para embeber toda a extensão da madeira com querosene, produto que também é capaz de destruir os insetos. No caso de peças pequenas, uma solução é colocá-las no congelador por três ou quatro dias ou na geladeira por uma semana.

Na próxima página, conheça as maneiras de eliminar as colônias de cupins subterrâneos.

Iscas e barreiras químicas

De acordo com Carlos Watanabe, a maioria das pessoas que procura sua empresa está enfrentando infestação de cupins subterrâneos e, porém, em parte dos casos, a residência já sofreu danos graves por causa da ação dos insetos.

Existem duas tecnologias usadas no extermínio das colônias. A primeira e mais antiga é conhecida por barreira química. A técnica consiste em perfurar o terreno em volta da casa a cada dois metros e jogar inseticida. Isso encharca o solo e forma uma barreira para a passagem dos cupins. "A barreira química protege, mas não elimina", adverte o engenheiro agrônomo Carlos Watanabe. A professora Fabiana Sacarin observa ainda que esta prática causa a contaminação do solo e não deve ser usada em áreas próximas de lençóis freáticos.

A tecnologia de iscas é considerada a mais eficaz pelos especialistas. Iscas de madeira embebidas com inseticida são colocadas em perfurações no terreno, em média a cada dois metros, para que o cupim se alimente delas. O inseticida não mata imediatamente o inseto, que fica vivo tempo suficiente para levar o alimento ao ninho, fazendo com que os demais indivíduos da colônia se alimentem dele e acabem sucumbindo também. Segundo Carlos, este sistema extermina os cupins entre 30 e 60 dias após o início da aplicação.

Fabiana Sacarin orienta que antes de contratar uma empresa para eliminar a infestação, as pessoas devem buscar informações sobre elas nos órgãos e sites que registram reclamações de clientes. Ela destaca que todas as empresas que atuam neste ramo devem ser registradas na APRAG, associação dos controladores de pragas urbanas.

Leia também sobre como proteger sua casa de insetos e pragas.

Tags:

Comentários


  • 14 de junho de 2012 às 00:00
    A muito tempo tenho problemas com cupins em casa e testei de tudo para eliminá-los. O único produto que fez efeito foi o Straik mata cupim. Fiquei muito satisfeito com o produto. Foi o único de deu resultado. Ele é pronto uso é só aplicar. Comprei em www.dexterlatina.com.br Espero ter contribuido para os que assim como eu ficaram desesperados com o problema. Abraço! Geraldo Tomé.
  • 19 de setembro de 2013 às 00:00
    Eu fiz, um trabalho em uma porta de madeira que estava cheia de furos, coloquei ela deitada e joguei água fervendo em todos os furos e até hoje não apareceu mais sujeira de cupim. Porem não tive certeza que era esse inseto.
Ir para o topo