Vantagens e desvantagens do aquecedor a gás

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

A instalação deste equipamento requer planejamento e cuidado

Aquecedor

Divulgação Lorenzetti / Bosch

Com a chegada do frio, nada mais gostoso do que tomar um banho quentinho, principalmente se a água for aquecida com um equipamento apropriado, como os aquecedores de água a gás. No entanto, antes de você correr para a loja mais próxima e instalar o equipamento na sua casa é necessário avaliar os pontos positivos e negativos da instalação deste equipamento, avaliando a necessidade da sua família e as caraterísticas da sua casa.

Confira as vantagens e desvantagens deste tipo de aquecedor segundo as orientações dos especialistas Thyago Ferreira, da Bosch e de Alexandre Tambasco, da Lorenzetti.

Vantagens do aquecedor a gás

  • O aparelho pode ser utilizado em casas ou apartamentos;
  • Os aparelhos são compactos, com peso de até 20 kilos;
  • Não ocupa muito espaço e é instalado geralmente na parede da área de serviço;
  • De fácil remoção, o aquecedor pode ser retirado para eventuais manutenções;
  • O acendimento do aquecedor é automático e imediato
  • Não existe a necessidade de esperar o aquecimento de reservatórios, e nem risco da água quente acabar em meio à utilização;
  • Os equipamentos são muito seguros com sensor corta gás, caso ocorra algum tipo de problema;
  • O aparelho trabalha com baixa pressão de gás;
  • O aquecedor pode ser utilizado simultaneamente em vários pontos de consumo de água quente;
  • Por não possuir reservatórios, a durabilidade do aparelho gira em torno de 10 a 15 anos.

Desvantagens do aquecedor a gás

  • O aparelho necessita de pressão em torno de 5 a 10 metros de coluna de água (mca) para o funcionamento em plena capacidade;
  • Por ser considerado como aquecedor de passagem, a água pode demorar um pouco para esquentar;
  • Este equipamento pode não ser uma opção tão "verde" quanto o aquecimento solar;
  • Para instalar o aquecedor em uma residência é preciso ter uma hidráulica apropriada, com tubulação para água fria, para água quente e para o gás que vai alimentar o aquecedor, que pode ser GLP (gás liquefeito de petróleo) ou GN (gás natural);
  • O equipamento precisa passar por manutenção, no mínimo, anual. No entanto, este procedimento deve ser feito por uma assistência técnica autorizada pelo fabricante;
  • A escolha do aquecedor deve ser baseada nos pontos de consumo, tais como duchas, torneiras, banheiras, etc.
Tags:

Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse post!

Ir para o topo