Ambientes ecologicamente corretos

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Arquitetos apostam na sustentabilidade

A adesão da arquitetura ao conceito de sustentabilidade resulta em projetos residenciais e comerciais que empregam recursos ecológicos na construção das obras e decoração dos ambientes. São ideias que tentam minimizar o impacto negativo da ação humana no meio ambiente a partir da escolha de produtos que, dentre outros atributos, poupam energia, não poluem a atmosfera e aproveitam materiais reciclados.

Na imagem acima, a sala de descanso desenvolvida pela Cria Arquitetura une o bem-estar individual ao do planeta. Ao indivíduo porque proporciona conforto térmico e acústico, iluminação na medida certa e agrada os sentidos com tecidos naturais, macios e antialérgicos. Já a preocupação com o meio ambiente explica-se por nenhum produto utilizado na composição do espaço emitir gases tóxicos.

Sala de descanso da Cria Arquitetura

A arquiteta Érika Gibrin, coordenadora de projetos da Cria Arquitetura, explica que o consumo de energia foi reduzido em até 80% com o uso de lâmpadas LEDs, cujo raio luminoso é livre de ultravioleta e de calor. O forro Cleaneo que transforma odores em substâncias inofensivas e a tinta natural composta de terra crua melhoram a qualidade do ar. Para evitar a geração de resíduos, foi aplicada no piso a resina tecnocimento, material cimentício com verniz à base de água.

Três tipos de madeira compõem o mobiliário da sala de descanso: lyptus de reflorestamento, painel Tamburato com selo de manejo florestal FSC e madeira de redescobrimento, que seria descartada. O tapete Broinha embaixo da chaise foi confeccionado com tira de rama, apara de malha descartada pela indústria têxtil. A cortina e as almofadas foram elaboradas com retalhos e sobras da produção de sedas artesanais com tingimento natural obtido de cascas de árvores, sementes e raízes.

Madeira artificial e revestimento

A reciclagem de resíduos plásticos é outra medida sustentável incorporada pelos arquitetos. A madeira plástica da Ecowood Rio utilizada no piso da área de lazer vista na foto à esquerda é resultado do reaproveitamento de resíduos industriais. Além de durável, impermeável e imune à ação de pragas e cupins, o produto tem a aparência estética da madeira sem que haja o corte de árvores. À direita, o ambiente externo da Castelatto desenvolvido pela arquiteta Débora Aguiar também se valeu de madeira artificial, que reproduz em perfeição a madeira rústica natural.

A presença de resíduos de concreto provenientes de sobras no revestimento da Castelatto diminui a geração de lixo e o desgaste da extração de recursos naturais. A permeabilidade do revestimento complementa o sistema de drenagem do solo, facilitando a chegada da água aos lençóis freáticos.

Revestimento com material reciclado

A fabricação do cimento para o revestimento dispensa o uso de forno, o que evita a emissão de gases poluentes e minimiza o gasto de energia. Nas imagens logo acima, o banheiro do projeto do arquiteto Alexandre Furcolin integra a linha Ekko cor Castanho e a linha Madeyra Vecchia cor Canela. A foto à direita mostra uma área externa da linha Ekko cor Marfim, de autoria do arquiteto Alexandre Furcolin.

Sala de estar e canto zen

O arquiteto Ruy Rezende, vencedor de prêmios de sustentabilidade, aplicou o conceito no seu próprio apartamento, no Rio de Janeiro. Para aumentar a claridade e diminuir o consumo de luz elétrica, os vãos foram redimensionados.

As aberturas do apartamento foram fundamentais para a ventilação cruzada, que melhora o conforto térmico. A criação de um espelho d´agua e da parede verde na varanda também ajuda a climatizar os ambientes integrados, evitando o uso do ar-condicionado.

Canto zen

O paisagismo contemporâneo absorveu o ideal de preservação ambiental. Na imagem à esquerda, o espaço "Natureza Viva" construído pelas arquitetas Patrícia Miranda e Soraia Vitiello da Gaia Projetos Sustentáveis. Para compor o jardim zen, utilizaram diversas espécies de plantas tropicais e materiais de fontes renováveis.

Também optaram por móveis ecológicos como rack feito de madeira pallet revestido de folhas de bananeira, um banco de cascas de palmeira de jerivá, espreguiçadeira de troncos de araucária e tapetes de fibras naturais. Foram utilizados piso de madeira plástica e um deck de pallet e assoalho de demolição, além de casca de árvores e lascas de bambu para forração.

Saiba mais sobre o uso de materiais de construção ecológicos.

Tags:

Comentários


  • 6 de dezembro de 2011 às 00:00
    achei de muito bom gosto essas decorações estou presizando de uma faichada de casa diferente das quadradas quero sair desse tipo muda para uma coisa bem diferente meio que arredondada voces pode me ajudar muito obrigada ja peguei varias dicas aqui
Ir para o topo