Como cuidar de folhagens

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Sensíveis ou resistentes, folhagens precisam de cuidados diferentes para ficarem sempre bonitas

Opção para quem mora em apartamento ou em casa que recebe pouca luz do sol, as folhagens marcam presença e embelezam, trazendo o contato com a natureza para os ambientes. Porém, as folhagens se diferenciam nos cuidados e para garantir que elas fiquem saudáveis e bonitas, precisam ser acondicionadas nos ambientes corretos. Os  dão dicas sobre como cultivar esse tipo de planta em casa.

Quanto a rega, Daniela informa que ela deve ser constante, com frequência média de três vezes por semana, evitando deixar o solo seco por mais de três ou quatro dias. "Não pode deixar a raiz encharcada. Tem que ter bom senso na hora de regar", lembra Sedo. Daniel explica que o substrato precisa se manter úmido, mas não molhado. "A melhor maneira de saber se está molhando corretamente, além da observação do desenvolvimento da folhagem, é colocar o dedo no substrato para saber se está seco, úmido ou encharcado", orienta o paisagista. Caso a pessoa note que a haste da planta está ficando amarelada ou mole, é sinal de que ela está recebendo água demais e está apodrecendo, adverte Daniela.

Os paisagistas aconselham a não fazer a poda das folhagens, mas apenas retirar as folhas que estão amareladas ou secas.

Folhagens sensíveis

Plantas como as samambaias, avencas e rendas portuguesas precisam de mais cuidados, pois são mais sensíveis que as outras folhagens. Essas são plantas de sombra ou meia-sombra que se fixam em cascas de árvores e outros substratos que permaneçam úmidos, porém, que tenham uma boa drenagem. O local ideal para desenvolvimento desse tipo de folhagem inclui ambientes bem iluminados, porém, sem incidência direta dos raios solares.

Os cuidados com esse tipo de planta começam com a escolha do vaso. Essas folhagens possuem raiz fina e por isso precisam de um solo fofo para se desenvolver. O substrato tem essa característica e é um composto orgânico, produzido com ferragem de madeira, mamona e outros complementos que dão nutrientes para a planta. "Hoje em dia está sendo muito utilizado os vasos de fibra de coco, pois são recipientes que oferecem sustentabilidade e podem ser preenchidos com o substrato", explica Sedo. Daniel Cruz complementa indicando além dos vasos de fibra de coco, os de cerâmica.

A adubação para essas plantas é feita com um produto dissolvido em água e que pode ser encontrado em casas especializadas do ramo. Por ser um vegetal que não dá flores nem frutos, o ideal é que se adube apenas duas vezes ao ano. Daniel sugere usar produtos naturais, como o húmus de minhoca. "De dois em dois meses pode-se usar cinco colheres de húmus por vaso. Isso tem demonstrado bons resultados na adubação", comenta Daniel Cruz.

A temperatura também é um fator que merece atenção, pois deve variar entre 20 e 25 graus. Espécies como a samambaia são prejudicadas quando sofrem incidência de ventos. "Um ambiente adequado para o desenvolvimento dessa planta é o fechado, como uma área de serviço, o que evita a exposição direta dos ventos". O ideal é que se reproduza o ambiente mais próximo ao encontrado naturalmente. "Samambaias e outras folhagens crescem em ambiente de mata, onde não existe vento direto".

Folhagens resistentes

Os cuidados com esse tipo de planta são diferentes dos cuidados com o outro grupo. Resistente, essas folhagens se desenvolvem muito bem tanto na área interna quanto na área externa das casas, pois não são afetadas pela ação do vento, mas precisam receber a quantidade de luz solar mínima para se desenvolver.

Essas plantas são mais resistentes em todos os aspectos, suportando bem a estiagem, o calor e também o frio. A utilização dessas folhagens na elaboração de projetos paisagísticos com baixa manutenção é muito eficaz. Essas plantas podem formar composições interessantes com agaves, rosas-de-pedra, entre outras. Elas se desenvolvem melhor quando plantada em locais à meia-sombra, mas toleram tanto o sol pleno, quanto ambientes pouco iluminados.

Daniela lembra que esse tipo de vegetal geralmente é plantado diretamente na terra, sem necessariamente exigir algum tipo de preparo do solo ou até mesmo adubação, que pode ser feita até uma vez ao ano com matéria orgânica. O lugar ideal para plantá-las são os terrenos arenosos, com boa drenagem, ou vasos que sigam as mesmas condições. As plantas mais resistentes possuem poder de regeneração muito grande. O processo de regeneração delas é grande e em alguns casos conseguimos cortar a parte ruim e deixar na terra apenas a raiz, que pode crescer novamente saudável.

Continue lendo: No outono as suas plantas merecem cuidados especiais.

fonte: paisagistas Daniel Cruz e Daniela Sedo

Tags:

Comentários


  • 25 de junho de 2012 às 00:00
    O texto ficaria mais simpático se o digitador não tivesse cometido tantos erros de concordância.
  • 25 de junho de 2012 às 00:00

    Gostei muito das dicas dadas nesta reportagem e queria fazer umas perguntas.
    Tenho um pé de lichia que deu muitos frutos no ano passado e por causa do peso tivemos até que escorrar seus galhos.
    Existem muitos galhos ainda escorados por que estão a mais ou menos 40 ou 50 cm do chão. Quanto podar? Só os que estão arrastando no chão? Em que época podar?
    Aguardo resposta via e-mail.
    Suely
  • 5 de julho de 2012 às 00:00
    Olá boa tarde, gostaria de saber como faço para ter hortencia sempre bonitas e como faço para tirar mudas e também da quaresmeira.Obrigado
  • 25 de junho de 2013 às 00:00
    coloquei terra nas minhas folhagens achando que era terra adulpada essa terra era da plantaçao de batatas e agora minhas folhagens estão sem brilho e algumas estão apodrecendo as folhas,me ajude o que eu poderia fazer
Ir para o topo