Como fazer degradê nas paredes

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Olá, amigas e amigos! Hoje vou mostrar um passo a passo para quem quer mudar o visual da casa sem gastar muito. O efeito degradê nas paredes dá um toque diferente e moderno aos ambientes, e o resultado fica lindo! Antes de colocar a mão na massa, vou dar algumas dicas que fazem a diferença na escolha do efeito.

 

Degradê horizontal

Costuma compor ambientes mais propícios ao conforto e ao repouso, porque lembram a linha do horizonte.

 

Degradê vertical

Direcionam o olhar e é uma boa opção para destacar um quadro ou um móvel.

 

Degradê com efeito suave ou marcante

Para conseguir um efeito suave, escolha um número maior de tonalidades, já que a passagem entre as cores será mais sutil. Se a intenção for criar algo mais marcante, diminua o número de tons.

 

Para fazer o efeito degradê você vai precisar de:

Shutterstock / Geo-grafika

  • Tintas coloridas ou uma branca com corante da cor desejada;
  • Rolos de espuma;
  • Fita crepe;
  • Esponja de cozinha.

Dica esperta: para obter o resultado perfeito é só selecionar uma cor vibrante e combiná-la com tons equivalentes mais claros da mesma cartela.

 

Passo a passo para fazer efeito degradê nas paredes

A técnica mais fácil para aplicar o efeito degradê é pintar listras, geralmente da mais escura – na parte de baixo – para a mais clara. Você pode escolher entre efeito vertical ou horizontal e ainda com transição marcada ou não. Nos dois casos:

  • Meça a parede e faça a divisão marcada com lápis delimitando o espaço para cada tonalidade.
  • Comece sempre pintando pela tonalidade mais escura.

 

Para fazer efeito degradê com faixas marcadas

Projeto do arquiteto Roberto Migotto com parede degradê azul. Foto: Tatiana Renna/BBel

Se a ideia é marcar bem, coloque fita crepe no limite das cores e espere secar para pintar a próxima faixa, e assim sucessivamente.

 

Para fazer efeito degradê,  sem deixar as listras aparentes (ombré)

decofilia.com

  • É necessário aplicar todas as tonalidades separadamente, e ainda com as tintas molhadas borrifar um pouco de água nas divisões e dar leves batidinhas com uma esponja de cozinha ou rolinho de espuma macio  para mesclar as tonalidades, sem deixar a emenda de uma cor para outra evidente.
  • Para essa proposta, o melhor é escolher um número maior de tonalidades para obter passagens mais sutis entre as cores.
  • Outra opção para mesclar as tonalidades é passar suavemente o pincel de pelos macios seco na tinta ainda molhada, entrando com uma tonalidade na outra.

 

Dica esperta da Bbel

Compre a tinta branca, separe uma quantidade em um recipiente próprio para pintura e misture com um corante (pó ou líquido) da cor desejada, faça a faixa escura e acrescente mais tinta branca ao recipiente para fazer a mais clara, e assim sucessivamente. Isso fará com que economize muito na compra das tintas.

Gostaram das dicas? Mãos à obra!

*Fontes: Nara Boari, gerente de Marca e Inovação da Suvinil, Silvia Sakovic- designer de interiores.

Tags:

Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse post!

Ir para o topo