Jardim Japonês e seus mistérios

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Conheça a origem e os tipos

A partir da metade do século I d.C., os poderosos do Japão passaram a implantar jardins que lhes trouxessem tranquilidade e paz para repousar e meditar. A fórmula encontrada foi reproduzir a natureza de uma maneira artística.

Nesta mesma época o Budismo foi introduzido no Japão e influenciou todas as áreas, desde a espiritual e religiosa até a maneira de pensar e de se expressar artisticamente. O Budismo, mesclado com a religião original do país - o Xintoísmo - deu origem à maneira budista zen, que influenciou toda a vida no Japão inclusive a arte da jardinagem.

A partir daí, o jardim japonês passou a ser feito dentro da filosofia zen, destinado à contemplação do espetáculo proporcionado pela natureza, um espaço livre do estresse e que leva o observador à meditação.

Jardim japonês

 Jardim do Palácio Imperial do Japão

A paisagista Maria Cecília de Medeiros Prado, em sua viagem ao Japão, teve a oportunidade de vivenciar a espiritualidade do jardim japonês. Ela esteve nos principais jardins da Terra do Sol Nascente, inclusive nos jardins do Palácio Imperial, em Tóquio. Mas o que mais a impressionou, e que ela tem vivo na memória e no coração é o jardim japonês do Templo Ryoanji em Kyoto.

 Templo Ryoanji

"Por um acaso do destino entabulamos prosa com uma historiadora no local que nos contou que este templo havia sido um Monastério onde os estudantes candidatos tinham que aprender as lições da natureza. A história tocante que nos foi contada: os candidatos a monge deveriam sentar-se defronte ao jardim treinando seu silêncio e imobilidade pelo maior tempo possível para depois voltarem-se ao mestre e dizer o que haviam percebido. Ao voltar ao mestre, este os induzia a perceber o que a natureza havia lhes ensinado. Durante o dia, com a movimentação do sol, as sombras das pedras no pedrisco branco iam formando sombras fantasmagóricas que mudavam durante o decorrer do dia. Deste acontecimento o mestre mostrava aos discípulos que, por mais negras que sejam algumas sombras em nossa vida, elas também se modificam e, a seu tempo, desaparecem", diz Cecília.

O projeto do jardim japonês norteia-se nos princípios da filosofia Zen como: simplicidade, naturalidade, serenidade, transcendência do convencional e assimetria. Existem vários tipos de jardim japonês:

Jardim Japonês Karesansui - Jardim de pedras e rochas

 Jardim do Templo Rioanji

São planos podendo ter elementos vivos ou apenas pedras e rochas. O melhor exemplo do jardim japonês de pedras e rochas esta na cidade de Kyoto, no Japão, no Templo Rioanji (Templo do Dragão Pacífico). Ele tem forte influência do zen-budismo e servia de palco para a meditação dos monges. Quem visita este jardim japonês Karesansui fica intrigado: o que faz com que os visitantes sintam uma sensação de paz e tranquilidade?

Estudos feitos por uma cientista visual americana da Universidade de Rutgers, Ilona Kovacs, demonstrou que o cérebro humano usa linhas simétricas para entender e dar sentido às formas. Posteriormente, os cientistas Gert van Tonder, da Universidade de Kyoto, e Michael J. Lyon, cientista sênior da ATR de Kyoto, estudaram muito a estrutura deste jardim japonês e chegaram à conclusão que o efeito calmante do ambiente vem das características estruturais ocultas nos espaço entre pedras.

O jardim japonês do templo Ryoanji é um retângulo forrado com cascalhos brancos onde, estrategicamente, existem 15 pedras de vários tamanhos dispostas em trios. De qualquer ângulo de visão apenas 14 pedras são vistas; a décima quinta só é vista por quem atingir a iluminação. Três lados deste jardim têm muros baixos e o quarto lado uma varanda que serve de ponto especial de observação. Deste ponto é possível perceber as imagens entendidas e processadas pela mente, mas invisíveis a nossos olhos.

Este tipo de jardim japonês é destinado à meditação e adoração. Seus ensinamentos são sempre passados de mestre para discípulo.

Jardim Japonês Chaniwa - Jardim de chá

 Jardim japonês de chá

O jardim japonês Chaniwa é feito no entorno dos pavilhões de chá, com pedras-guia que demarcam o caminho para chegar ao local da cerimônia de chá. Lanternas de pedra (toro) são colocadas estrategicamente para iluminar a mente e induzir à concentração àqueles que se encaminham para o pavilhão do chá. Na entrada onde a cerimônia do chá acontece, encontra-se os tsukubais (local onde os participantes da cerimônia do chá se purificam). Internamente, os jardins de chá são simples.

 Cerimônia do chá japonesa

Em uma pequena área podemos fazer um jardim japonês chaniwa ou jardim de chá. O caminho deve ser prolongado por meio de curvas, pois segundo a tradição, os caminhos sinuosos impedem que os maus espíritos adentrem ao jardim, além de dar a impressão de amplitude

Jardim Japonês Tsukiyama

 Jardim Tsukiyama - fontes, pontes, lagos e árvores

Jardim Japonês Tsukiyama - reproduz a natureza montanhosa com desníveis, riachos, cascatas, lagos e fontes. São os jardins do paraíso, jardins naturais ou jardins de passeio.

Este jardim japonês tem como objetivo ressaltar as características da natureza, por meio da harmonia, apesar de ser feito pelo homem. Este exemplo de jardim japonês pode ser de vários tamanhos: o grande para passeios e o pequeno para ser apreciado da varanda.

As montanhas são representadas por arranjos de pedra ou montes de terra. Pode haver um lago simbolizando o mar. As árvores, arbustos e flores devem ser dispostos em harmonia para retratar a natureza com ar espiritual.

Jardim Tsukiyama

Podemos dizer que o amor é um exercício de jardinagem porque é preciso preparar o terreno, semear, regar, tirar as ervas daninhas e cuidar das pragas e doenças que eventualmente apareçam. O jardineiro tem que ter paciência e jamais abandonar seu jardim, mesmo que haja seca ou um exagero de chuvas.

Transpondo o ensinamento da natureza, representada no jardim japonês, para a vida dos homens podemos dizer que um relacionamento duradouro passa por todas estas etapas onde cada um deve valorizar, respeitar, admirar e compreender seu companheiro, aceitando-o como ele é, com afeto e ternura.

O jardim japonês é idealizado na procura do eterno e do espírito e quem nele entra, deve ter a impressão de entrar em um templo de meditação. Agora conheça outras sugestões para montar o seu jardim. Inspire-se nas dunas naturais.

Tags:

Comentários


  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    E lindo mesmo pessoal, eu moro la rsrs... se alguem tiver uma oportunidade, va conhecer pessoalmente,vao adorar, aqui no Brasil nw tem nada comparado com os jardins de la...
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Realmente maravilhoso. Só em olhar as imagens já da uma paz e uma alegria no coração. Imagine estar num lugar assim, é uma sensação indiscritivel.
    Parabéns
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Olha, realmente lindo. Pena eu não poder ter um jardim assim. Seria uma benção.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Muito lindo! Parabéns pela matéria!
    Um espaço onde podemos meditar, sentir a paz e a tranquilidade interior.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    muito lindo adorei
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    gostei das imagens estou fazendo um lago com uma palafita zem para minha esposa que pratica ioga e vou aproveitar as ideias
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    MARAVILHOS GOSTEI MUITO ....... GOSTARIA DE ENTAR CONTADO COM A MARIA CECILIA DE MEDEIROS GRATO WALTER LIMA
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    maravilha de trabalho uma verdadeira obra prima.nos tempos de hoje tudo que precisamos para um relaxamento completo.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Jardim Japonês e seus mistérios... Vadv.barea@uolale a pena conferir... Bjs
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    A paisagen dos jardins Japonês nos trás harmonia e paz interna.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    é tudo o q. amo e respeito... parabens e continue enviando comentarios c. estes... obrigada p. estes momentos de reflexição.... Brunhilde Campinas s.p.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Amei! Simples, porem completo. Parabens!
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Lindooo demais.Parece surreal,muito magico.Nos leva realmente à um mundo paralelo (meditação).
    www.floraisonline.net
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Eu como empresário do ramo de paisagismo adorei.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Ótima matéria, muito bem escrita, completa e elegante, imagens excelentes!
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    matéria estimulante e bastante abrangente
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Como faz bem aos olhos e ao coraçao ver um jardim desses tao lindo. PARABENS. Eu como desingner que sou
    aprecio bons e lindos jardins como sugestao . Marize.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    ADORO A ARQUITETURA E O BOM GOSTO DOS JAPAO. É TUDO MARAVILHOSA, DA UMA SENSAÇAO DE ACONCHEGO.
  • 5 de setembro de 2010 às 00:00
    Inspiração Divina. Toque mágico das mãos do homem à criação de Deus, dando formas graciosas, a jardins.
    Simplesmente, lindo.
  • 6 de setembro de 2010 às 00:00

    Quanta beleza harmônica!
  • 6 de setembro de 2010 às 00:00
    E eles vivem em pequeno espaço, o Japão é metade montanhas e outra metade habitavel. Imaginem se o Brasil fosse Japão, nós seriamos o nº 1 do mundo.
  • 6 de setembro de 2010 às 00:00
    Segunda-feira, 06 de Setembro de 2010 aqui na Suiça são 09:32

    Conheci pessoalmente o Japão. e estive em quase todos os jardins do Norte ao Sul.
    Lá tive uma paz incrivel, levei quase meio ano para entrar de novo na realidade do dia a dia , ou seja no estress.
    Hoje morro num lugar também maravilhoso e muito florido, mas a paz desses jardins Japoneses só se encontra por la.
    Amei este artigo, muito bem feito.
    Parabéns Maria Cecília.
Ir para o topo