Paisagismo

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Um elo entre a área construída e a natureza ao redor.

Desde os remotos tempos da Babilônia, onde reinou Nabucodonosor, apaixonado por plantas, aromas e que criou os famosos "jardins suspensos"; o homem se interessou não só pelas plantas comestíveis, mas também por aquelas que por sua beleza e aroma lhe despertava sentimentos inspiradores.
No mundo todo, inclusive no Brasil, a floricultura e paisagismo têm se desenvolvido ganhando espaços cada vez maiores, confirmando a tese de que quanto mais civilizada for uma civilização, maior a busca em todos os setores das artes.

Tanto o paisagismo quanto a floricultura, indicam um grau de bem estar e respeito pela natureza e certo saudosismo das origens terrenas do homem que hoje vive nas grandes cidades. O paisagismo é uma arte e ciência que coordena o espaço externo das construções, quer na cidade, praia ou campo, colocando um elo entre a área construída e a própria natureza ao redor.

Ao pensar em paisagismo, devemos ter em mente que a organização vegetal em torno de qualquer edificação, deve unificá-la com o meio ambiente; parecer que não foi uma intervenção agressiva, mas sim uma ligação natural. Precisam levar em conta a arquitetura, o clima, a topografia, a insolação e o fim para o qual é destinada a área a ser trabalhada.

A área a ser trabalhada começa pelo conhecimento do solo que normalmente no Brasil precisa ser alcalinizado com calcário dolomitico para retirar a acidez da terra. Considerar também o microclima do local, ventos, densidade das chuvas e temperaturas. Conciliar o plantio com a flora existente no local e colocação de novas espécies que podem se adaptar.

O paisagista amador ou profissional deve também pensar na circulação das pessoas que utilizarão a edificação e o fim para o qual ela esta sendo jardinada. Se for uma área de lazer com crianças, precisará ter brinquedos lúdicos como escorregador e balanço. Se for uma casa de condomínio no interior, é interessante que as crianças aprendam a comer as frutas do pé como fizeram nossos avós. A indicação nesse caso seria de um pequeno pomar com dois tipos de cítricas: laranja lima e mexerica. Uma acerola, muito rica em vitamina C cujo pé não ocupa muito espaço; uma pitangueira, ideal para suco ou batidas ao redor da piscina pois frutifica no verão; e a brasileiríssima jabuticabeira, cujos frutos em outubro são famosos e únicos da nossa terra.

Leia também: Paisagismo e qualidade de vida.

Tags:

Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse post!

Ir para o topo