Viva melhor sob um telhado verde

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Saiba as vantagens de uma cobertura viva

Um bem para a sua casa e para a cidade. O aumento da biodiversidade e o melhoramento do ar atmosférico interior e exterior fazem do uso de vegetação na cobertura de edifícios e residências um dos requisitos da habitação ecológica, além de ser uma forma de embelezar a obra e promover o convívio com a natureza.

O telhado verde contribui para a manutenção da umidade relativa do ar e forma um microecossistema. O controle da vazão da água da chuva é outro benefício citado por João Manuel Feijó, engenheiro agrônomo da empresa Ecotelhado. A retenção da água favorece a drenagem urbana e evita a poluição de rios e enchentes.

Conforto térmico também é um diferencial do telhado verde. "Com a evaporação e a transpiração das plantas, o calor é liberado, trazendo arrefecimento do entorno", explica Feijó. A redução da temperatura ambiente pode reduzir o consumo de energia ao dispensar o uso de ar condicionado. O fator acústico, segundo o engenheiro, é beneficiado com a diminuição da reverberação dos sons.

Para que não haja consequências como vazamentos, infiltrações e perda de plantas e terra por erosão, a implantação do telhado verde requer infraestrutura adequada e mão de obra especializada. Veja na página seguinte como ter uma cobertura viva.

Instalação e manutenção

Para decidir como o telhado verde será instalado, é necessária uma avaliação prévia da estrutura que deve levar em conta sua capacidade de carga. Manuel Feijó aponta que a laje plana é mais indicada e fácil do que o telhado inclinado. "Até para lazer ou manutenção o telhado plano é mais indicado. Entretanto, há sistemas que podem ser colocado sobre telha cerâmica", informa.

Problemas de infiltração são prevenidos com uma proteção impermeabilizante. "Pode ser colocada desde a telha de fibrocimento, metálica, até a manta asfáltica de lajes pré-existentes", explana. O projeto também inclui dutos de irrigação e drenagem para ajudar no conforto termoacústico. Sobre o orçamento, Feijó ressalta que depende do projeto paisagístico e pode custar muito mais barato do que um telhado convencional.

O tipo de vegetação deve ser adaptado ao clima regional. Feijó indica o uso de plantas nativas ou adaptadas em arranjos ecológicos de baixa manutenção. Para um melhor efeito estético e térmico, Ricardo Cardim, ambientalista da empresa especializada em telhados verdes Skygarden Envec, recomenda forrações densas como gramados (Esmeralda, São Carlos, Coreana, entre outros), que permitem pisoteio e aproveitamento da área como local de lazer.

Segundo Cardim, a irrigação funciona como em um jardim convencional em terra firme. "A periodicidade de regas depende das espécies de plantas usadas no paisagismo. Na cidade de São Paulo, um gramado pode ser regado a cada dois dias na época da seca", exemplifica.

Tenha em casa um jardim vertical.

Tags:

Comentários


  • 9 de julho de 2011 às 00:00
    Sempre me interessei de saber mais sobre este telhado, parabéns pela reportagem!
    Gostaria de saber se podemos utilizar este telhado na região Nordeste? Ví que em São Paulo, na época da seca são molhados a cada 02 dias, então caso seja possível, como deve ser a rega nesta região citada? E quanto ao problema da falta de água, é vantagem a utilização deste telhado?
    Agradeço a atenção e aguardo a resposta!
  • 15 de setembro de 2011 às 00:00
    olha nunca vi nada igual
  • 2 de outubro de 2011 às 00:00
    Nossa, muito interessante esse artigo,no Brasil já existem casas com esse tipo de cobertura?Pois acho que se alguém fizer isso,todos vão achar loucura...
  • 18 de novembro de 2011 às 00:00
    Boa Tarde
    Gostaria de saber é colocado alguma coisa embaixo da grama e se a laje suporta o peso.
    Tenho um espaço bem grande na minha laje que é 10x15, gostaria de fazer a laje de meu jardim.
    Obrigada
Ir para o topo