Brincadeiras para fazer com as crianças na Páscoa

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Que tal fazer algo diferente nesta Páscoa, reunir as crianças da família ou da vizinhança e organizar algumas brincadeiras? É uma forma de associar valores diferentes à data, que já é vista por muitas crianças como mais um dia para ganhar alguma coisa.

 

Para os pais que não são religiosos, preparar brincadeiras, contação de histórias, receitas para cozinhar em conjunto e outras atividades do tipo são uma boa saída para vincular valores como a amizade, o compartilhamento e a integração sem precisar remeter ao cunho religioso do dia. Essas atitudes ajudam a criança a formar um novo olhar sobre a data, ela sai do senso comum da data comercial, e amplia esse olhar sobre a Páscoa, formando uma memória de sensações. Vejam algumas sugestões de brincadeiras.

Caça às cenouras

Esta é uma brincadeira para envolver crianças de 3 a 12 anos de idade. Além de se tornar uma diversão para a família, ela desenvolve o lúdico, raciocínio e motricidade dos pequenos. Você vai precisar de:

  • 1 ou mais cestas de cenouras com chocolate
  • Pistas informando o caminho correto a seguir

Desenvolvimento

Esconda a cesta de cenouras em um lugar bem difícil, faça algumas pistas com enigmas ou pegadas para que as crianças se divirtam procurando. Seguem algumas dicas de pistas para facilitar a atividade:

1ª- Estou debaixo de onde você dorme. (a resposta é cama ou quarto)

2ª- Estou onde a água cai e te deixa bem limpinho (a resposta é banheiro)

3ª- Estou onde todas as informações passam ao mesmo tempo (a resposta é tv ou computador).

Para as crianças que ainda não sabem ler a sugestão é utilizar pegadas de coelho para criar uma trilha de pegadas. É uma atividade que resgata a amizade e a afetividade familiar.

Coelhinho sai da toca

Você vai precisar de:

  • Bambolês de acordo com o número de crianças. Você pode substituir os bambolês por círculos desenhados no chão. Faça sempre um círculo a menos que número de participantes.

Desenvolvimento

Cada bambolê ou círculo vai ser uma toca. As crianças começam a brincadeira fora das tocas, quando o é dita a frase "coelhinho sai da toca", todos correm para ocupar um círculo. A criança que ficar fora da toca aguarda a próxima rodada da brincadeira. Toda vez que o comando "coelhinho sai da toca" é dado, os participantes devem trocar de bambolê e quem ficar sem toca também fica fora da brincadeira. A cada rodada um círculo também deve ser retirado.

Dicas

Para ficar ainda mais divertido as crianças podem pintar o rosto de coelho. Se a sua ideia for dar um presente para o vencedor da brincadeira,  é interessante que depois todos recebam o prêmio para que as crianças não se frustrem por não conseguir concluir a atividade.

Rabinho no coelho

Esta é uma brincadeira para ajudar a meninada a melhorar o senso de direção e a inteligência espacial. Você vai precisar de:

  • Fita crepe
  • Folha de papel
  • Giz de cera ou canetinhas
  • Uma venda para os olhos
  • Um chumaço de algodão para ser o rabinho do coelho

Preparação

As crianças podem ajudar a desenhar um coelho no papel. Mas, atenção, o coelho precisa estar de costas ou de perfil, para o rabinho ficar aparecendo. Após o desenho terminado, no lugar do rabinho, cole a fita crepe com a parte colante para o lado de fora. Pendure o desenho na parede

Desenvolvimento

Separe as crianças em grupos e um representante de cada grupo para ter os olhos vendados. Com os olhos vendados a criança deve ser orientada pelos outros participantes a colar o algodão no local do rabinho do coelho. Nesse caso, ganha aquele time que cumprir em menos tempo a tarefa.

Você também pode fazer outras brincadeiras como o tradicional amigo-chocolate ou a corrida de ovos, quando cada criança precisa correr por trajeto equilibrando um ovo de galinha em uma colher.

Dicas: Thais Schulter, coordenadora pedagógica do Colégio Augusto Laranja. Sergio Oliveira - Coordenador de Lazer do Grande Hotel Campos do Jordão - Hotel escola Senac, Debora Paschoal, assistente de coordenação pedagógica do Colégio Itatiaia, .Heloisa Helena Baldo, consultora Pedagógica da Rede Pitágoras.

 

Tags:

Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse post!

Ir para o topo