Como organizar o material escolar das crianças

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Reaproveitamento, doação e reciclagem são alternativas para o material escolar

O hábito de organizar o material escolar deve ser passado de pai para filho. Quanto mais cedo as crianças se acostumam com as rotinas de organização, mais fácil elas entendem que isso diminui o trabalho e economiza tempo.

Um bom lugar para estudar é fundamental para que a criança desenvolva o gosto pelos estudos. O local escolhido não precisa ser muito grande, mas é fundamental que seja confortável e tenha uma boa iluminação. Caso não seja possível montar esse espaço dentro do quarto, ele pode ser feito também na sala, mas de preferência em um lugar calmo e com poucos atrativos para distração, como televisão e internet.

Organizando o cantinho de estudo e leitura

Organizar esse espaço é fácil, principalmente para quem tem criatividade. Para isso é preciso dois a três porta-lápis e canetas, que podem ser baldinhos ou outros recipientes que sejam de fácil visualização, e uma gaveta para os demais materiais. "Uma latinha pode servir também como porta-lápis, desde que não ofereça risco de ferir a criança. Para colocar ordem na gaveta com borracha, tesoura, apontador, clips e grampeador, uma boa sugestão é usar esses organizadores de talheres, encontrados em lojas de artigos para a casa", sugere a home organizer Adriana Saade.

Organizadores de cadernos e livros também ajudam a acabar com a bagunça no espaço destinado ao estudo. "Podem ser caixas de plástico, papelão ou acrílico. O importante é que fique de fácil acesso para as crianças", comenta a home organizer Carla Cardoso.

Organizar cadernos e livros também evita que os pequenos sobrecarreguem as mochilas com material desnecessário, o que pode acarretar danos na coluna ou avarias no material escolar.  Segundo Carla, ao organizar a mochila os pais devem evitar colocar material além do solicitado pela escola, pois provavelmente não será usado. Por esse motivo é preciso estar atento ao comprar a lista solicitada pela escola. O recomendável também é investir um pouco mais em mochilas resistentes para não precisar gastar novamente com esse item antes do ano letivo terminar.

Comprando o material escolar

Material da escola

Na fase da compra do material é importante a participação da criança. "É um excelente momento para explicar sobre noção de preços, como a diferença de valor entre um caderno com capa normal e o outro com estampa de personagem", explica Adriana Saade.

É comum que as escolas peçam alguns papéis diferenciados, como os sulfite colorido ou almaço. Se esse for o caso da escola de seu filho, a dica é separar esses papéis por pastas, sempre etiquetando pelo lado de fora qual é o conteúdo ou cores que estão ali dentro.

Algumas escolas disponibilizam armários para a criança guardar seu material escolar e não precisar ficar no leva e traz. Quando esse não é o caso Adriana aconselha que os pais acompanhem o horário das aulas para colocar na mochila apenas aquilo que vai ser usado no dia seguinte. "Toda sexta-feira os pais devem abrir a mochila, tirar tudo de dentro, limpar e selecionar o que é preciso levar para escola e o que já pode ser deixado em casa. Como a criança acompanha esse processo, ela já vai tendo noções de responsabilidade com o material, o que facilita a criação do hábito de organizar o dia a dia", orienta Adriana.

Acompanhe a rotina escolar

Enquanto os filhos são pequenos e estão começando a ir para a escola, os pais devem acompanhar a rotina escolar. Carla Cardoso, home organizer, recomenda que os pais coloquem nas mochilas duas pastas, sendo uma para recados do professor e outra para lição de casa. "É uma forma de mostrar para as crianças os benefícios da organização, pois quando elas chegam em casa, o material para fazer a lição de casa já estará separado", explica Carla.

Veja na próxima página o que fazer com cadernos, livros e apostilas que foram usados durante o ano.

Material escolar usado

Chega o final do ano e a dúvida dos pais é sempre a mesma: o que fazer com os cadernos, livros e apostilas que foram usados durante o ano? A resposta, segundo Adriana Saade, é que isso depende da família. É preciso avaliar se, em caso de ter mais de um filho, o mais novo não poderá usar a mesma apostila para consulta ou até mesmo estudo. "O que a gente indica é que a criança não faça os exercícios forçando muito o lápis, porque assim é possível apagar mais fácil para outras pessoas usarem o mesmo livro ou apostila", recomenda Saade.

Guardar ou não o material escolar?

Carla Cardoso sugere que os pais avaliem se vale a pena guardar o material por mais um ano ou se eles já podem se desfazer dele. "No caso de se desfazer, esse material pode ser encaminhado para doação ou até mesmo para reciclagem. Se eles quiserem guardar, é interessante separar um espaço no armário onde não junte pó", comenta Carla.

Quanto ao restante do material escolar, como lápis, canetas, giz de cera e borracha, os pais têm duas opções. O que estiver em bom estado pode ser reaproveitado no ano seguinte. Aquele que não estiver bem conservado ainda pode ser aproveitado. As organizers sugerem montar um kit que pode ser usado em casa ou no carro para fazer atividades. "Quem tem filhos pequenos pode deixar um caderno e um estojo com lápis de cor dentro do carro para quando saírem e precisarem distrair as crianças", destaca Adriana. Outra ideia é doar e incluir os filhos na seleção do que vai ser doado. Segundo Saade, da mesma forma que eles foram incluídos no momento da compra, é importante que eles estejam juntos na hora de doar e praticar o desapego.

Trabalhos artísticos produzidos pelas crianças acabam tomando muito espaço e até mesmo fazendo um pouco de sujeira. Adriana sugere fotografar ou escanear os trabalhos e transformar essas lembranças em arquivos digitais.

Veja agora como economizar na compra do material escolar.

Tags:

Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse post!

Ir para o topo