Organize a sua carteira e elimine a bagunça

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Excesso de documentos e cartões pode acarretar grandes problemas em caso de perda ou roubo

Quem nunca se viu com a carteira cheia de comprovantes de cartão de crédito, cartões de visita, cartões de bancos, plano de saúde e inúmeros papéis entregues na rua? Abarrotadas sem que haja necessidade, as carteiras podem se tornar um grande problema em caso de perda, furto ou até mesmo roubo, pois quanto mais itens desnecessários se armazenam nela, maior fica o seu volume, o que tende a chamar a atenção dos criminosos.

Primeiro passo para organizar a carteira

Ingrid Lisboa, home organizer, explica que o primeiro passo para acabar com a bagunça na carteira é tirar tudo o que não se usa no dia a dia. Cartões de visita em excesso também devem ser evitados, pois quanto mais objetos dentro da carteira, maior o volume, o que pode danificar o objeto. Para quem realmente precisa andar com muitos cartões de visita, a sugestão de Carla Cardoso, home organizer, é o uso de um porta-cartões ou até mesmo uma segunda carteira.

Aqueles que trabalham com informações de contatos podem usar a tecnologia a seu favor. Atualmente os smartphones já possuem conexão e sincronização com e-mails pessoais, onde é possível armazenar dados de contato e demais informações, como endereço, e-mail profissional e pessoal, data de aniversário e outras informações. Ingrid sugere o uso de um porta-cartões físico para o caso de algum problema com os eletrônicos. "Nem sempre o ideal é organizar pelo nome da pessoa, pois às vezes lembramos apenas o nome da empresa ou a profissão. Nesse caso o ideal é optar por esse tipo de classificação. Você pode não lembrar o nome da podóloga, mas sabe qual é a profissão ou o nome da empresa que ela trabalha", orienta Lisboa.

Veja na próxima página como organizar os demais itens essenciais dentro da carteira.

Itens essenciais

Organizar os cartões de banco, fidelidade de empresas, planos de saúde e CPF também merece atenção. Carla Cardoso lembra que quanto menos unidades ficarem na carteira, melhor. Essa prática visa também a segurança e evita aborrecimentos em casos de furto, roubo, sequestro-relâmpago ou perda.

Cartões

As organizers concordam que o número de cartões ligados a instituições financeiras que se deve ter na carteira são apenas dois, sendo um habilitado para a função de débito e outro para crédito. Essencial mesmo, segundo Ingrid e Carla, é manter sempre na carteira o cartão do plano de saúde para eventuais emergências. Carla menciona que cartões fidelidade das empresas também devem ficar em casa. "Hoje em dia esses cartões são pontuados também através do CPF, por isso não há necessidade de ficar carregando todos eles na carteira", comenta.

Documentos

Andar com todos os documentos também não é recomendado. Quem possui carteira nacional de habilitação, a CNH, não precisa carregar outros documentos, pois ela já possui dados como RG e CPF, além do registro nacional de habilitação. "O uso da CNH substitui o cartão do CPF e do RG. Caso a pessoa perca a carteira ou seja assaltada, é mais fácil retirar apenas a segunda via de um único documento", orienta Carla.

Quem não tem carteira de habilitação não precisa andar na rua com CPF, certificado de reservista, título e comprovante eleitoral, andar apenas com uma cópia autenticada do RG pode ser uma boa alternativa. Mas atenção, essa cópia autenticada não é válida para a CNH. Nesse caso, apenas a original é aceita para fins de identificação. Alguns profissionais como médicos, advogados, farmacêuticos e engenheiros podem substituir o documento de identificação pela cédula profissional expedida pelo conselho de classe.

Veja na próxima página como organizar o dinheiro e os cheques na carteira.

Dinheiro e cheques

Mesmo com a virtualização do dinheiro através dos cartões, Ingrid e Carla sugerem sempre ter uma reserva para alguma emergência. "Apesar de todo mundo usar cartão hoje em dia, é bom sempre ter entre cinquenta e cem reais em dinheiro na carteira para alguma eventualidade", adverte Ingrid Lisboa. Carla ressalta que o ideal é que esse dinheiro esteja trocado, pois dessa forma facilita na hora do uso.

Forma de pagamento que está caindo em desuso, mas ainda pode ser uma alternativa, o cheque também pode ser guardado na carteira, mas nunca o talão inteiro. "No máximo uma ou duas folhas para alguma emergência", explica Carla. Ingrid sugere que antes de colocar as folhas na carteira a pessoa cruze os cheques, para evitar maiores transtornos com perda ou roubo.

Escolha o modelo de carteira adequado

Na hora de escolher o modelo ideal, a dica das organizers é não exagerar escolhendo uma carteira muito grande, nem uma muito pequena. "O ideal é optar por um tamanho mediano, que comporte poucos cartões. O importante mesmo é manter uma rotina de organização, tirando um dia por semana para separar os comprovantes e fazer uma limpa nos papéis", orienta Carla Cardoso.

Veja agora como organizar a bolsa.

Tags:

Comentários

Seja o primeiro a comentar nesse post!

Ir para o topo