Organize seus arquivos digitais

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Organize seus arquivos e poupe tempo

A quantidade de arquivos disponibilizados digitalmente trouxe praticidade ao dia a dia, mas também trouxe algumas complicações na hora de organizar esse material. Antes restritos aos documentos de texto e planilhas eletrônicas, os arquivos digitais começaram a ganhar espaço com a popularização do scanner. As antigas fotos, reveladas através de processo químico, passaram a ser transformadas em arquivos digitais. Não era prático, mas era a maneira mais fácil de enviar fotos e documentos para parentes e amigos que moravam longe.

Logo vieram os arquivos de músicas em formato digital, junto com o início da popularização da internet discada. Nessa época não existia o MP3, mas alguns computadores já gravavam CDs, o que representou ao mesmo tempo uma economia para os amantes da música e uma liberdade para aqueles que gostavam de uma faixa ou outra do álbum de algum artista. Compartilhadores de arquivos como o Napster e Kazaa ganharam força e, diariamente, mais arquivos eram disponibilizados para usuários da rede no mundo todo.

A internet banda larga, aliada ao alto desempenho dos novos processadores e à grande capacidade de armazenamento dos computadores, abriu novas possibilidades para os usuários. Arquivos de aproximadamente cinco megabytes, que antes demoravam cerca de 10 minutos para completar a transferência, foram substituídos rapidamente pelos álbuns completos, videoclipes ou até mesmo filmes, baixados nos mesmos 10 minutos, dependendo da velocidade da conexão e do equipamento utilizado.

Na mesma época as câmeras digitais também começaram a se popularizar, aposentando os scanners da função de digitalizador de fotos. A praticidade de visualizar as imagens no momento em que foram registradas e o fato de não depender de laboratório fotográfico para revelação e ampliação tornaram o equipamento uma febre, estando presente inclusive em casas que não possuem computador. Com todo esse avanço tecnológico e popularização da tecnologia a bagunça dentro dos computadores torna-se algo praticamente inevitável e, por isso, merece cuidados, principalmente se o equipamento também é usado para trabalhar.

Nem todos os arquivos precisam estar armazenados dentro do computador. Veja na próxima página, quais podem ser guardados em outros locais, garantindo a segurança para que nada se perca.

Onde salvar?

Para começar a organizar a bagunça, o recomendado é separar o material por tipo de arquivo: documentos, fotos, vídeos, músicas e arquivos do sistema. Alterar documentos que estão salvos nas pastas dos sistemas operacionais merecem atenção redobrada. Excluir um simples arquivo pode ser suficiente para que o computador pare de funcionar e seja necessária a ajuda de um técnico para resolver o problema. É importante frisar que os programas só devem ser removidos utilizando as ferramentas próprias de cada sistema operacional.

Separado o material, é hora de classificar por importância e frequência de uso. O consultor em TI e mestre em ciências da computação Eduardo Oliveira Costa sugere que os arquivos mais importantes devem ser mantidos no computador, porém, o ideal é que seja feito uma cópia de segurança em outra mídia. É importante frisar que as mídias são vulneráveis, podendo sofrer danos que prejudiquem a leitura dos dados gravados.

Arquivos usados com pouca frequência, músicas, filmes, fotos e até mesmo programas devem ser salvos em CDs, DVDs e pen drives. Isso evita a sobrecarga de informações no computador, deixando-o mais rápido. "Se pensarmos em custo versus benefício, os CDs e DVDs são uma boa pedida para volumes não tão grandes. Em termos de praticidade, os pen drives são recomendados, porém vale lembrar que são os meios mais vulneráveis, devido ao seu tamanho", comenta Eduardo.

Uma opção mais segura para salvar arquivos fora do computador é o HD externo. "Em termos de segurança os HDs externos se destacam, pois não perdem dados tão facilmente. Além disso, são mais robustos em termos de armazenamento", explica o consultor.

A novidade no mercado da informática está por conta das nuvens de armazenamento, ou cloud computing, como também são conhecidas. Após realizar o cadastro, um usuário e uma senha permitem o acesso a um local de armazenamento virtual. Os arquivos pessoais podem ser acessados em qualquer dispositivo que tenha suporte para o sistema e esteja conectado à internet. Para usar esse sistema não há necessidade de instalar programas ou aplicativos.

Continue lendo as dicas do especialista sobre como nomear e organizar seus arquivos.

Organizando

Organizar os arquivos em pastas é o primeiro passo para não se desesperar ao procurar um arquivo desaparecido. Além de facilitar a busca, esse mecanismo acelera o processo de backup dos arquivos. "O usuário deve evitar criar muitas pastas porque elas geralmente mais atrapalham do que ajudam. É importante ser bastante objetivo na organização e sempre remover arquivos que não são mais necessários", comenta Eduardo.

Outra dica importante é agrupar os documentos pelo seu tipo e conteúdo, nomeando-os com informações chave do arquivo. Por exemplo: o documento a ser salvo é um contrato de aluguel, o imóvel é um apartamento localizado em São Paulo e o locatário é João da Silva. São muitas informações para constar como nome do arquivo. A sugestão é que sejam usadas apenas as informações principais. Nesse caso, as palavras chave são "contrato", "aluguel" e "apartamento".

Para vídeos, fotos e músicas, Eduardo recomenda usar os programas de edição para organizar. "A maioria dos pacotes de software para tratamento de fotos e edição de vídeo tem opção para organizar esses arquivos. Entretanto, muitas vezes é mais prático que o próprio usuário crie seu padrão de organização", avalia o consultor.

Saiba como deixar seu computador mais rápido:

Tags:

Comentários


  • 9 de novembro de 2011 às 00:00
    E se chover a nuvem vai embora?
    Celia
Ir para o topo