Saiba como garantir a segurança do botijão de gás

Compartilhe! Facebook Twitter Pinterest

Adote práticas seguras na hora da compra e do uso

A prevenção de acidentes com o de gás de cozinha precisa começar ainda antes da instalação do botijão. Na hora de comprar, é importante ter certeza de que você está adquirindo o gás em uma revendedora autorizada pela ANP, Agência Nacional do Petróleo. De acordo com o órgão, em 2011, 920 estabelecimentos foram autuados em fiscalização e outros 430 foram fechados por estar em situação irregular.

Abrão Lincoln Mesquita, coordenador de contingência da Liquigás, ensina que é preciso sempre pedir a nota fiscal à revendedora para verificar a sua legalidade. "Toda revenda legalizada tem por obrigação manter na fachada, visível ao público consumidor, uma placa contendo a razão social, o CNPJ e o número da autorização da ANP, bem como a capacidade de armazenamento de botijões", acrescenta.

Segundo a ANP, os revendedores autorizados são obrigados a ter em seu estabelecimento uma balança certificada pelo Inmetro para atestar que o botijão de gás está com peso correto.

Ao comprar em locais que não são fiscalizados, você pode adquirir um produto fora do prazo da validade e com menos gás do que o esperado. Além disso, os comércios ilegais de GLP podem acabar fornecendo aos compradores um botijão "pirata". De acordo com o Programa Gás Legal, do Sindigás, entidade que reúne as distribuidoras do combustível no país, o botijão pirata é aquele que traz a marca do rótulo e do lacre diferentes da que aparece gravada em alto relevo no corpo do botijão.

Portanto, ao comprar seu botijão, verifique se o rótulo, o lacre e a inscrição em alto revelo trazem o mesmo nome. Na balança, o botijão deve pesar bem próximo a 28 quilos, que é a soma do peso do botijão em si, 15 quilos, e do gás contido nele, 13 quilos. Os revendedores são obrigados aceitar de volta botijões de qualquer marca e, mesmo se o vazio estiver amassado ou enferrujado, o revendedor deve trocá-lo por outro em perfeitas condições.

Veja na próxima página quais cuidados ter na hora da instalação do botijão e como armazená-lo corretamente.

Uso no dia a dia

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, em 2010, somente na capital paulista, foram registrados 2,4 mil acidentes envolvendo botijões de gás. Para diminuir os riscos, as pessoas devem posicionar o botijão em um local adequado.

Colocar o botijão em espaços fechados, como compartimentos de armários, gabinetes, vãos sob escadas e porões não é uma boa ideia. Deixá-lo próximo a interruptores, tomadas e instalações elétricas, assim como de ralos ou grelhas de escoamento de água, também deve ser evitado. No caso dos ralos, por exemplo, a Liquigás explica que o gás, por ser mais pesado que o ar, pode se depositar no buraco e qualquer faísca poderá causar acidentes.

Não se esqueça de que o fogão é uma fonte de calor e por isso o botijão também não pode ser posicionado ao lado dele. Da mesma forma, não instale o botijão de maneira que a mangueira de gás fique passando por trás do fogão.

O ideal é que ele fique ao menos a 1,5 metros de distâncias das saídas de eletricidade e ralos, do lado de fora da cozinha, num ambiente arejado, coberto e protegido contra chuvas, vento e sol. Se ocorrer um vazamento, por exemplo, a ventilação vai permitir que o gás se disperse.

TV BBel: Como instalar o botijão de gás de cozinha

Quando você for fazer a troca do botijão, comece verificando se todos os queimadores estão fechados, depois puxe o lacre e retire-o totalmente, não utilize facas ou qualquer objeto pontudo para isso. Coloque o regulador utilizando somente as mãos, encaixe-o e rosqueie-o na válvula. "Depois, basta passar espuma de sabão ao redor da conexão e verificar se há vazamento. Se bolhas surgirem, é sinal de vazamento. Você pode repetir a operação, pois talvez seja apenas rosqueamento errado. Nunca utilize fósforo, isqueiro ou vela para o teste de vazamento de gás", orienta Abrão Lincoln Mesquita.

No dia a dia, a ANP aconselha os consumidores a adotar os hábitos de nunca deitar, inclinar, rolar, bater ou virar o botijão de gás de cabeça para baixo. O Sindigás recomenda sempre fechar o registro de gás ao sair de casa e, na hora de ligar uma boca do fogão, primeiro acender o fósforo ou ligar o acendedor elétrico e depois abrir o queimador para liberar ao gás.

Na próxima página, aprenda como proceder em caso de vazamentos.

O que fazer em casos de vazamento

O gás LP, que fica contido no botijão, é inodoro, ao contrário do que muitas pessoas imaginam. De acordo com a distribuidora Liquigás, é adicionado ao gás um composto à base de enxofre (etil-mercaptana) para caracterizar seu cheiro e tornar possível detectar eventuais vazamentos.

Se você desconfiar de um vazamento, não acenda luzes, fósforos, isqueiros, cigarros e nem ligue aparelhos eletrônicos. A chave geral de energia só deve ser desligada se estiver do lado de fora da casa. Abra portas e janelas e, antes de mexer no botijão de gás, feche o registro dele e afaste as pessoas do ambiente.

Para tentar parar o vazamento você deve desconectar o regulador de pressão de gás da válvula e, caso continue vazando, retirar o botijão para um local aberto, ventilado e longe de fontes de ignição. Após se certificar dos procedimentos de segurança, entre em contato imediatamente com a assistência técnica do revendedor de gás ou com o corpo de bombeiros.

Tanto a mangueira quanto o regulador de pressão de gás têm validade de cinco anos e devem ser trocados dentro deste período. O símbolo do Inmetro é a indicação de que o regulador está dentro das normas de segurança. Cuidar desses equipamentos também é importante para evitar problemas com o gás.

Aprenda também a evitar acidentes com eletricidade.

Tags:

Comentários


  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Tambem sou revendedor de gas com anp etc...como varios colegas aqui não tem fiscalização a onde se vende gas clandestinos , uma vez fiz uma lista com nomes e endereços dos revendedores clandestinos passei a lista para a prefeitura, e a prefeitura me disse que quem faz a fiscalização era a
    ANP mandei a lista para ANP e o q eles disse!!!,, quem deveria fazer a fiscalização é a prefeitura e ai quando acontece tragedia o povo acha quem é culpado é os revendedores que vendem botijão velhos e amassados
    fora um monte de gambiarra(mangueira furada , passa atras do forno , sem praçadeiras etc..) que o povo faz na ligação de gas ai a gente fala que é perigoso
    é dificil trabalhar honestamente nesse pais
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    sou um revendedor autorizado pela anp e corpo de bombeiros, ja o meu concorrente não tem nada disso,trabalha com varias marcas a que tiver melhor preço , e ainda vendem sem nota e sonega imposto
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    botijão da foto é ilustração
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Este é um botijão de gás propano, utilizado em geladeiras e não aquele utilizado nas casas e cozinhas.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Eu penso que se a própria Petrobrás que produz o GLP envasasse e entregasse,é bem provável que o preço final ficasse mais barato,pois não teríamos que pagar a exorbitância por o mesmos serem terceirizados e inchados de impostos,para a alegria do govêrno federal.Tenho dito.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    sera que agora depois dessa tragédia em sp as autoridades vao faser alguma coisa???? a favor das revendas de gas???
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    eai quando a anp vai vim aqui na cidade de apucarana fiscalisar????
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    moro na cidade de apucarana pr..sou revendedor de gas..com anp com todas as taxas que tenho que pagar..estou trabalhando de graca pq tudo o que eu ganho é pra pagar impostos ao governo.aqui nao esta diferente das demais cidades do pais tem gente vendendo gas em mercados,dentro de casa e quitandas da cidade...ta uma bagunca o preco e de lamentar pq é quse de graca...mas só vao vim fiscalisar quando acontecer uma tragédia...presisamos de vcs aqui pessoal da anp mas nao é pra multar os depósitos nao igual vcs fasem quando vem.é pra ajudar nós pq se nao muitos vao fechar,a gente denuncia na anp e eles pedem pra ir no bombero,o bombero nao resolve nada,muito menos a prefeitura do municipio..estamos revoltados com a falta de fiscalisacao...sera que tem alguem ai pra fiscalisar pra gente?????
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    SOU REVENDEDOR
    A BRIGA ENTRE AS DISTRIBUIDORAS PARA GANHAR MERCADO FAZEM ELAS VENDEREM PARA QUALQUER UM.
    A "ANP" GANHA PARA FISCALIZAR AQUI NA MINHA CIDADE SÓ TA FALTANDO VENDER GAS NA FEIRA, PORQUE NO RESTO DO COMERCIO TODO MUNDO ESTA VENDENDO
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    EU nunca vi aqui em paranagua uma fiscalização, da ANP. O corpo de Bombeiro não tem autorização para fechar um estabelecimento.Aqui em pguá estão vendendo gas em posto de gasolina , quitanda, farmacia,mercearia falta só vender em hospital .Tá maior bagunça.SÓ VÃO FAZER ALGUMA COISA QUANDO ACONTECER UMA TRAGEDIA.VAMOS TRABALHAR ANP.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Como a do gás a maioria das empresas vive na clandestinidade, por causa da altíssima carga tributária. Se um estabelecimento de pequeno porte, tiver de pagar tudo que lhe é cobrado, sempre estará no vermelho. É simples matemática. Então o governo com sua ganância em faturar mais e mais, é o grande culpado. Quer outro exemplo? CD´s e DVD´s. Sabem quando vão acabar com a pirataria? NUNCA!... Os impostos poderiam ser reduzidos a 1/3 do que se cobra. Aí, rapidinho todos fariam questão de andarem na legalidade, a pirataria se não acabasse, pelo menos seria reduzida em 80% do que é hoje. Tenho dito.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Diva boa tarde, existem requalificadoras de botijões, são locais que os botijões são avaliados e testados sendo validados para os próximos 10 anos ou se não estiver em condições são sucateados (amassados e furados), um grande problema que as autoridades deveriam proibir são as proprias empresas que vende os botijões de revalidar os seus próprios botijões.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    moro em jardinpolis eta cidade que reveda de gaz cladestino eu acho que ANP não conhece essa cidade fica no estado de S/P quem vende no seu bar 2 latinha de sardinhas tem 4 botijôes de gaz na porta para vender sem segurança sem alvaras SR mesquita da liguigaz venha conferir
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Sou revendedor de gas a 6 anos, sempre com ANP e demais exigencias em dia, sofro fiscalização constante, mas onde realmente interessa que são os clandestinos na ha fiscalização, pois os mesmos não pagariam e nem pagam impostos ao governo, esses infelizmente são os sabidos do mercado, infelizmente esse acidente não vai ser o ultimo pois a quantidade de ilegais supera os que estão dentro das leis. Esse é nosso Brasil se acostumem com isso.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    E para estas pessoas que compra o gás na porta de casa, como faz?
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Como descartar bujão vazio e antigo ?
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    Muito boa essa materia, conhecimento nunca é demais.
  • 14 de outubro de 2011 às 00:00
    sou revendedor autorizado pela ANP a 3 anos, temos fiscalização direto, mas eu nunca vi aqui na região de Ribeirão Preto eles fiscalizarem que não são credenciados, agente liga na ANP para denunciar eles manda ligar no corpo de bombeiro você liga no corpo de bombeiros eles pedem para ligar n prefeitura ou seja é uma batata quente que ninguém quer ter na mão, ai acontece um sinistro aparece um monte de desocupado para diser que vai fiscalizar essa novela é antiga
  • 18 de outubro de 2011 às 00:00
    De acordo com a lei do imetro e a NBR todo botijão de gás não podem ser pintados para que não esconda o desgaste do mesmo, porém já vir várias empresas comercializando este tipo de botijão.
  • 30 de abril de 2012 às 00:00
    Aqui em Ribeirão preto so tem clandestino,porque se não for clandestino è multado pela
    ANP.
  • 30 de julho de 2012 às 00:00
    BOM SERIA SE A FISCALIZAÇÃO FOSSE MAIS ASSÍDUA,MAIS CONSTANTE NESTE SETOR TÃO COMPLICADO.
Ir para o topo